Neurologia

Neurologia 2019-01-10T20:58:02-02:00

A Neurologia é a especialidade que se dedica ao diagnóstico e tratamento das doenças que afetam o sistema nervoso (cérebro, tronco encefálico, cerebelo, medula espinhal e nervos) e os componentes da junção neuromuscular (nervo e músculos).

O médico que se especializa em neurologia é chamado de neurologista. Após completar o bacharelado em medicina que dura em média 6 anos reconhecido tanto pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC) quanto pelo Conselho Federal de Medicina, esses indivíduos precisam realizar o curso de residência em neurologia que tem duração média de 3 anos também reconhecido pelos órgãos citados além do reconhecimento da Academia Brasileira de Neurologia (ABN).

Principais doenças

  • Acidente vascular cerebral (AVC)
  • Cefaléia (dor de cabeça)
  • Doença de Alzheimer
  • Doença De Parkinson
  • Enxaqueca
  • Epilepsia
  • Esclerose Múltipla
  • Insônia
  • Neuralgia Do Trigêmeo
  • Síndrome De Guillain-Barré
  • Tontura
  • Tremor Essencial

Exames e procedimentos

  • Aplicação da toxina botulínica
  • Avaliação de morte encefálica em possível doador de órgão
  • Tratamento clínico para Enxaqueca
  • Tratamento da doença de Alzheimer
  • Tratamento da epilepsia
  • Tratamento da insônia
  • Tratamento de Esclerose Múltipla
  • Tratamento do AVC (Acidente Vascular Cerebral)
  • Tratamento para cefaléia tipo tensional
  • Tratamento para distúrbios da memória
  • Tratamento para polineuropatias periféricas

QUANDO DEVEMOS PROCURAR UM NEUROLOGISTA ?

A famosa e indesejável dor de cabeça pode ser a primeira indicação de problemas neurológicos. Não é uma regra, é claro, afinal este é um sintoma bastante genérico presente em uma série de outras doenças. Contudo, é um sinal de alerta. Se a dor for aguda e contínua e vier acompanhada de vômito, se ela piora com o esforço físico, ou se causa alterações na visão e convulsão há uma grande possibilidade de que você precise se tratar com um neurologista.

Assim como a dor de cabeça, a dormência e o formigamento podem ser indicativos de uma série de doenças, tanto simples quanto complexas, e que merecem ser investigadas mais profundamente quando ocorrerem com uma frequência anormal, surgirem sem um motivo aparente, ou ainda se ocorrer apenas em um lado do corpo. Caso essa dormência seja acompanhada de outros sintomas, como vertigem, confusão mental, fala arrastada ou perda de visão em apenas um dos olhos, pode ser um AVC (Acidente Vascular Cerebral) e, nesse caso, a ajuda deve ser imediata.

Se você tem uma rotina agitada é provável que às vezes sofra com episódios de falha na memória. Infelizmente, o estresse e o acúmulo de tarefas tornam esses casos cada vez mais frequentes. No entanto, se esses episódios são extremos, ocorrem em uma frequência constante ou são acompanhados de confusão mental, está na hora de fazer uma visita a um neurologista.

O Alzheimer é uma das doenças neurológicas que apresentam esse sintoma. Geralmente, essa doença afeta pessoas com mais de 60 anos, mas há registros de casos precoces em pacientes na faixa dos 40 anos. Essa é uma doença degenerativa, cujos sintomas aumentam de intensidade com o passar do tempo.

O Alzheimer não tem cura, mas o tratamento adequado, indicado por um especialista, pode amenizar os sintomas e melhorar a qualidade de vida do paciente.

Sono excessivo, insônia ou apneia (interrupção da respiração) podem ser indicativos de doenças neurológicas. Estudos relacionados a neurologia, indicam que cerca de dois terços dos indivíduos que apresentam dificuldades relacionadas ao sono desenvolvem doenças neurológicas ao longo de suas vidas.

Segundo especialistas, a sonolência excessiva, por exemplo, pode estar relacionada a esclerose múltipla, a narcolepsia ou até mesmo indicar a possibilidade de AVC.

O corpo humano funciona quase como uma orquestra. Para que o espetáculo aconteça, cada membro precisa fazer sua parte corretamente. Pense em uma atividade bem simples, como levantar um braço, por exemplo. Para que isso ocorra, o seu cérebro precisa ativar uma série de nervos que darão o comando ao músculo que fará o movimento. Se uma dessas partes não funciona corretamente, a ação não pode ser concluída.

A fraqueza muscular, portanto, pode estar diretamente relacionada a um problema neural. Por isso, se essa sensação de fraqueza ocorre com frequência, vem acompanhada de dificuldade de respirar, falar, mastigar ou engolir uma ajuda médica deve ser requisitada com urgência.

Então, entendeu quando deve procurar um neurologista?

Pacientes com histórico familiar de doenças neurológicas devem ficar ainda mais atentos e procurar por esse especialista, antes mesmo de aparecerem os primeiros sintomas.

As doenças mais comuns tratadas pelo neurologista são:

  •     Cefaleias ou dores de cabeça
  •    Distúrbios do sono (insônia, excesso de sono, sono não restaurador, ronco, apneia do sono)
  •     Doenças cérebro-vasculares (AVC) ou “derrames”
  •     Distúrbios do movimento (como tremores, tics e doença de Parkinson)
  •     Demências (como doença de Alzheimer)
  •     Doenças desmielinizantes (como a Esclerose Múltipla)
  •     Neuropatias periféricas (como a diabética)
  •     Doenças musculares e de junção (como a Miastenia Gravis)
  •     Desmaios, crises convulsivas e epilepsias
  •     Tonturas e vertigens
  •     Infecções do sistema nervoso (como meningites e encefalites)
  •     Tumores
  •     Doenças degenerativas
  •     Déficit de atenção e hiperatividade

A neurologia tem interface com a psiquiatria e pode tratar de casos de depressão, ansiedade, irritabilidade, pânico, etc.

COMO É A PRIMEIRA CONSULTA COM O NEUROLOGISTA

Para que o médico seja eficaz ao fazer o diagnóstico, é importante que haja uma parceria entre o paciente e o médico.

É natural que o paciente na sua primeira consulta com o neurologista queira saber qual é o tipo de transtorno que tem, como o distúrbio vai afetar a saúde e a vida diária, para isso deve ir bem preparado para passar todas as informações que o médico precisa saber para te diagnosticar corretamente.

Leve para consulta com neurologista, os remédios que você toma, faça um histórico de saúde com os problemas que já teve e resultados de testes e exames.

Se possível, leve também um amigo ou parente para que possa junto com você, tirar todas as dúvidas e fazer anotações importantes.

Fale para seu médico tudo que for relevante, sintomas e a quanto tempo sofre com eles. Faça consultas de acompanhamento se for necessário e faça tudo o que for orientado pelo neurologista.

Dr. Luis Felipe Berchielli
Dr. Luis Felipe BerchielliNeurologista
CRM 130.381 / RQE 64.195